quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Polícia paulista declara guerra contra o roubo de cargas

Polícia paulista declara guerra contra o roubo de cargas

Números de ocorrências, em alta durante todo o ano de 2009, expressam primeira tendência de baixa e repressão e investigação ao crime começam a mostrar primeiros resultados

O Estado de São Paulo, única unidade da Federação que trabalha com a divulgação transparente dos números do roubo de cargas, em parceria com as entidades representativas das empresas de transporte, sempre lidou com estatísticas crescentes nesta modalidade de crime. O ano de 2009 começou com uma alta. Nos três primeiros meses, as ocorrências de roubo de cargas em território paulista tiveram um aumento de 10% em relação à média de todo o ano passado. Foram
1.849 roubos que causaram prejuízo de R$ 62.563.000,00, 6% a mais que a média de 2008.

Em julho, o número de ocorrências no Estado, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública, atingiu o pico de 711 e, nos meses seguintes, iniciou uma tendência de queda, indo para 660 e 656, respectivamente em agosto e setembro. No mês passado, o governo do Estado anunciou a reativação do Procarga, programa criado em 1997 para prevenir esta modalidade de crime que acabou não sendo colocado em prática.

Agora, as polícias Civil e Militar do Estado estão juntas para aumentar os efetivos e o emprego de inteligência policial no combate ao roubo de cargas. Segundo o delegado Titular do Deic (Departamento de Investigação sobre o Crime Organizado) Waldomiro Milanesi, o Procarga foi reativado pelo atual secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, Antonio Ferreira Pinto, depois de uma solicitação do setor de transporte de cargas. "Por meio desta solicitação houve a criação de um grupo de trabalho que fez alguns estudos sobre o programa criado em 97 e fez algumas alterações administrativas e legislativas no âmbito das polícias Civil e Militar, inclusive com algumas ações táticas. Com este grupo de trabalho, nós envolvemos também as polícias Técnica e Científica neste comprometimento, também convidando
outros parceiros oficiais e privados relacionados à segurança, como a Polícia Rodoviária Federal, a Polícia Federal, as polícias Civis e Militares dos outros Estados e também os representantes privados interessados no segmento de transporte", disse o delegado em entrevista exclusiva ao Portal Transporta Brasil.

O trabalho conjunto já tem mostrado resultados, como em operações realizadas no Centro de São Paulo, na região da Rua 25 de Março, onde mais de 30 ladrões de carga foram presos este ano, depois da ação orquestrada pelo Deic. "Esta operação foi fruto de um intenso trabalho de inteligência. Foi um trabalho de acompanhamento das ocorrências e uma análise criminal de como, quando e onde e por quem estavam sendo feitos os roubos", conta o Dr. Milanesi.

O delegado diz que outras operações desta natureza estão sendo planejadas em todo o Estado e também em outras regiões, com o apoio das polícias locais. De acordo com ele, o envolvimento de diversos setores da sociedade é primordial para a redução das ocorrências de roubo de cargas em São Paulo. O grupo de trabalho tem se reunido com entidades como a Fiesp para criar meios de identificação de produtos industriais e aumentar a chance de rastrear as cargas.

Na Assembleia Legislativa, os deputados trabalham em um Projeto de Lei para aumentar as penas para estabelecimentos que comercializam cargas roubadas, atacando na raiz do problema, o receptador.

Fonte: Transporta Brasil


Nenhum comentário: