sábado, 10 de outubro de 2009

Segurança Pessoal - Estatísticas mostram aumento dos riscos

Segurança Pessoal - Estatísticas mostram aumento dos riscos.

22/09/09


Roubos e furtos crescem 7,54% nos Jardins e Paulista é principal alvo Criminosos costumam agir em dupla, normalmente entre 14 e 21 horas, e atacar moças, em busca de celulares.

SÃO PAULO(SP) - O número de roubos e furtos na região dos Jardins, área nobre compreendida entre a zona sul e a região central de São Paulo, aumentou 7,54% entre janeiro e o dia 16 de setembro deste ano, em comparação com o mesmo período de 2008 - foram 3.830 casos no ano passado, ante 4.119 neste ano. O local mais visado pelos bandidos é a Avenida Paulista, via de maior movimento na área e onde 1.467 casos foram registrados no 78º Distrito Policial (Jardins). Os dados têm por base o Infocrim, a central de dados da Secretaria da Segurança Pública (SSP).

A Polícia Militar afirmou que realiza na região "um serviço velado" para identificar criminosos e diminuir as ocorrências. O Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic) informou que também participa de operações nas ruas. Os agentes mapearam vias com maior incidência de crimes e tem mantido equipes no local. Heitor Sertão, gerente da Avenida Paulista, foi procurado para falar sobre o assunto. Mas a Assessoria de Imprensa da Coordenação das Subprefeituras informou que ele não poderia falar de violência.

Segundo o levantamento, além da Paulista, a Avenida Brigadeiro Luís Antonio, a Alameda Santos e as Ruas Augusta, Consolação e Pamplona lideram as estatísticas de roubo e furto (quando se levam em consideração as ocorrências de furto e roubo de carro). Foi em uma rua dos Jardins que a modelo Daniela Sarahyba, de 25 anos, foi assaltada há 15 dias, quando passava de táxi pela Rua Estados Unidos, na esquina com a Rua Padre João Manuel. Eram quase 14 horas quando dois bandidos em uma moto levaram o relógio e o iPhone de Daniela. Ninguém foi preso. Perto dali, na Rua Pamplona, a dançarina Gracyanne Barbosa teve a bolsa furtada dentro de uma loja de grife. Foram levados cerca de R$ 6 mil, um notebook e o celular.

De acordo com os investigadores, na maioria das vezes os criminosos agem em dupla e estão em uma moto com capacetes escuros para impedir a identificação. Há casos em que a vítima é atacada por menores de idade com armas de brinquedo. Já o objeto mais visado pelos assaltantes é o celular. Um balanço preliminar mostra que as ocorrências costumam ser registradas entre 14 e 21 horas.

CRIANÇAS NO CRIME

O major Benjamim Francisco Neto, comandante do 7º Batalhão de Higienópolis, que responde pelas áreas do 78 º DP, 4º DP (Consolação) e 3º DP (Santa Ifigênia) disse que desde a semana passada a região recebeu o reforço de 60 policiais militares em formação na corporação.

Além desse efetivo, toda a região da Avenida Paulista tem sido monitorada 24 horas por rondas de moto e viaturas. "É bom deixar claro que somente no dia da Parada Gay, em maio, ocorreram 700 furtos na região da Paulista e esse dados estão contabilizados nas ocorrências." Segundo o oficial, uma breve observação nos boletins de ocorrência revela que menores estão assaltando pedestre da região empunhando armas de brinquedo. "Mas já houve prisões desses adolescentes",
afirma ele.

Uma delas ocorreu em 17 de agosto. O oficial explicou que foram apreendidos oito menores que promoviam arrastões na Paulista durante a madrugada.Os adolescentes seriam aliciados por Fernando Martins, que também foi preso.

Na semana passada, após uma campana no bairro, o Deic também prendeu um adolescente de 17 anos. Ele estava a pé com uma arma de brinquedo e tinha acabado de atacar um promotor de eventos gastronômicos na Rua da Consolação, nas proximidades da Rua Oscar Freire. Roberto Jardim, de 61 anos, acredita que o carro comprado no ano passado, uma Mercedes Benz conversível chamou a atenção do garoto. "Ele bateu no vidro com a arma, querendo a carteira e o meu relógio. Na mesma hora, eu saquei que se tratava de um revólver de brinquedo. Eu estava entregando o relógio, quando os policiais apareceram."

Segundo Jardim, a melhor maneira de andar na cidade é com um kit ladrão. "Tenho um outro relógio e uma carteira para o bandido."

ESTATÍSTICAS

Estatísticas oficiais da Secretaria de Segurança Pública também mostram que, de janeiro a junho deste ano, aumentaram os casos de roubo e furto em toda a capital, em comparação com igual período do ano passado. Os furtos passaram de 75.944 para 86.203. Os roubos aumentaram de 56.940 para 63.393. Furtos de carros subiram de 21.808 para 22.260 e roubos de carros, de 15.540 para 19.102.



Fonte: Estadão

Nenhum comentário: