segunda-feira, 16 de março de 2009

Casa atacada e moradoras estupradas

Casa atacada e moradoras estupradas

13/03/09

Casarão é invadido por quadrilha de bandidos em Santa Teresa

RIO - Seis bandidos armados com facas e pistolas invadiram uma casa durante a madrugada desta quarta-feira na Rua Ermenegildo de Barros, no Largo do Curvelo, em Santa Teresa. No início da tarde, a polícia já havia identificado uma parte do bando. Os bandidos fizeram quatro pessoas reféns por cerca de duas horas e meia. No assalto, os criminosos roubaram uma série de objetos de valor, entre celulares, dinheiro e DVDs. O bando fugiu no carro de uma das vítimas, que foram levadas para a 7ª DP (Santa Teresa). As duas jovens que sofreram violência sexual, têm idade entre 19 e 24 anos. Elas foram encaminhadas para exame de corpo de delito.

O prédio invadido fica no mesmo terreno onde funciona uma casa de eventos culturais e artísticos. A polícia acredita que os bandidos tenham entrado pela mata que fica nos fundos do terreno. O delegado titular da 7ª DP (Santa Teresa), Marco Antônio da Silva, disse que os bandidos que invadiram o casarão na Rua Ermenegildo de Barros seriam os mesmos que invadiram uma casa na madrugada de terça-feira no bairro, fazendo uma moradora refém.

Pela manhã, o delegado esteve no casarão assaltado em Santa Teresa. Peritos também foram ao local para fazer um novo exame. Policiais militares também voltarão ao local do crime para fazer buscas na região. Ninguém foi preso até o momento.

Os moradores da Rua Hermenegildo Barros reclamam que, frequentemente, há cortes de energia e problemas de falta de iluminação na via. Segundo eles, pouco antes do crime, faltou energia nas casas, das 23h25m até 1h da madrugada. Eles contam que já reclamaram na Light, mas o problema ainda é constante e prejudica a seguarança no bairro.

O comandante responsável pelo batalhão policial que cuida do bairro, coronel Sérgio Mendes, disse à Rádio CBN que a Polícia Militar vem fazendo um policiamento preventivo mas, por Santa Teresa ser um bairro residencial, fica muito vulnerável a ação de bandidos. Segundo assalto a residência no bairro

Foi o segundo assalto no bairro nesta semana. Na segunda-feira, seis homens armados assaltaram uma casa na Estrada Dom Joaquim Mamede, também em Santa Teresa. A moradora contou que viveu momentos de tensão, mas que não foi agredida. Armados com facas e pistolas, os ladrões invadiram a casa pelo andar térreo, pulando o muro, e mantiveram a moradora Maria do Rosário de Almeida Braga sob a mira das armas.

Os frequentes assaltos em Santa Teresa fizeram com que a a Associação de Moradores e Amigos de Santa Teresa (Amast) marcasse um debate sobre a segurança pública no bairro. Segundo os representantes da associação, o objetivo é buscar alternativas para combater os assaltos contra moradores e turistas no bairro. O encontro será às 19h do próximo dia 12, no Centro Cultural Laurinda Santos Lobo.

Fonte: Extra Info

Nota do Emir: Em minhas reuniões de negócios com as áreas comerciais de empresas de segurança, eu sempre comento e destaco sobre o perigo dos criminosos permanecerem mais do que 30 minutos no local assaltado. É justamente após esse tempo que os bandidos cometem as maiores e piores atrocidades contra suas vítimas indefesas.

Esses crimes envolvem estupros como os relatados na matéria do Extra Info mas também passam por torturas, espancamentos, humilhações e até o assassinato das vítimas. Isso decorre, inclusive, de reações biológicas, frente à queda brusca nos níveis de adrenalina do criminoso, que tenta retomar sua condição de superioridade ante sua vítima.

Isso justifica, entre outras razões, a utilização de eficazes meios de segurança eletrônica, que permitam que empresas especializadas em segurança e em monitoramento recebam as sinalizações dos pânicos ou mesmo dos disparos de alarmes, movimentando os serviços de resposta tática ou pronto-atendimento, diminuíndo os riscos e as vulnerabilidades das vítimas.

Quanto menor o tempo de resposta, menor será o prejuízo emocional, psicológico e até mesmo patrimonial de nossos parceiros-pagantes (clientes). Cabe-nos realizar as devidas orientações, recomendações e instaurações de procedimentos que visem optimizar o atendimento nestes casos.

Nenhum comentário: