terça-feira, 28 de outubro de 2008

Vigilantes Privados vão vigiar Delegacias de Polícia no Maranhão

Vigilantes vão vigiar Delegacias no Maranhão


21/10/08

Delegacia: noite sem policiais

SÃO LUÍS - A partir da próxima segunda-feira, nenhuma delegacia de polícia dos bairros de São Luís terá em seus plantões noturnos a presença de policiais civis, entre as 19h e 7h do dia seguinte. A determinação partiu, esta semana, da secretária de Segurança Cidadã, Eurídice Vidigal (Sesec), e encaminhada às delegacias por meio de uma circular pela Superintendência de Polícia da capital, desde a quarta-feira última.

Ainda de acordo com a circular, apenas os plantões centrais da Polícia Civil da Beira-Mar e dos bairros Cohatrac, Cidade Operária e Vila Embratel continuarão funcionando com policiais à noite.

No lugar dos agentes da Polícia Civil, estarão agentes de empresas de segurança privada, que não farão o registro de ocorrências, mas limitando-se apenas a vigiar as delegacias.

Segundo o presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol) do Maranhão, Amon Jessen, a medida, que também se estenderá aos feriados e fins de semana, é o reflexo do descaso em que se encontra o sistema de segurança pública do estado.

"A segurança estadual está completamente comprometida. Não há avanço, apenas retrocesso. É verdade que os detentos não estão mais nas delegacias. No entanto, a população ficará sem serviço policial e, portanto, mais vulnerável à ação dos bandidos", explicou.

Outro problema que preocupa os representantes da Polícia Civil é a não convocação dos mais de 400 policiais concursados, que estão aptos para exercerem suas atividades mas, até o momento, não foram nomeados pelo governo.

"Fizemos um pedido de inquérito público ao Ministério Público (MP), mas não tivemos apoio. Também já procuramos o Poder Judiciário e não tivemos respostas", disse Jessen, que lamenta as limitações do sindicato diante dessa situação.

"Ao sindicato, a única coisa que resta fazer é denunciar esse tipo de irresponsabilidade e pedir à sociedade que reconheça o verdadeiro culpado desse caos, que é o poder público", afirmou o presidente do Sinpol.



Fonte: Mirante(MA)

Nenhum comentário: