quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Assalto anunciado

PORTO ALEGRE

O estranho caso do assalto anunciado

Um insólito roubo causou dissabores a vítimas e bandidos no final de semana, na zona norte de Porto Alegre.

Começou com um aviso a uma empresa de que ela seria atacada. As vítimas não acreditaram, e o assalto se consumou, mesmo dentro de um condomínio fechado com segurança 24 horas. Por fim, os bandidos fugiram com um cofre pensando estar carregado de dinheiro, mas que só continha cheques pré-datados e moedas para troco.

A seqüência de surpresas teve início na noite de quinta-feira passada, quando um homem ligou para o escritório das lojas de roupas infantis Picorrucho, na Avenida Francisco Silveira Bitencourt, no bairro Sarandi:

– Aqui é um amigo. Tô ligando para avisar que vocês serão roubados.

O recado colocou os funcionários em estado de alerta. No dia seguinte, medidas de segurança foram adotadas para proteger as sete lojas da rede de possíveis ataques. Em uma das filiais, na Avenida Assis Brasil, uma dupla de moto que rodava insistentemente pela região chegou a ser considerada suspeita, mas nenhuma anormalidade aconteceu. No sábado pela manhã, quando funcionários acreditavam que o susto tinha passado, o escritório foi invadido por quatro ladrões.

– Jamais imaginei que isso iria acontecer aqui. Nos mudamos para cá, justamente, para ter mais segurança – lamentou Jorge Gilberto do Moraes, gerente administrativo da empresa.

Bandidos enganaram sistema de segurança

Mesmo equipada com portões eletrônicos, câmeras de vídeo, interfone e cabina protegida por vidros escuros, a portaria foi facilmente ultrapassada pela quadrilha. O bando, em um Peugeot 206 vermelho com placas falsas, se apresentou como fornecedor.

– A gente aguardava uma equipe de manutenção. E os ladrões se identificaram como sendo da empresa que era esperada. Por isso autorizamos a entrada – lamentou Moraes.

Armados com pistolas, renderam Moraes e sete funcionários. Perguntaram onde estava o cofre e fizeram dois funcionários carregá-lo até o Peugeot.

– Tivemos prejuízos, e os bandidos também. Nós, porque temos de cobrar de novo dos clientes, e os ladrões porque os cheques eram todos nominais. Não há como descontar – afirmou Moraes.


 

Nota do Emir: Com a utilização do Sistema Porteiro Online, desenvolvido pela Chipsat e vendido para todo o Brasil, exceto para o Rio Grande do Sul, a Base de Monitoramento teria condições de identificar a alteração da rotina no posto de portaria, o que permitiria uma ação efetiva da empresa de segurança. Os sistemas eletrônicos de segurança são ferramentas importantíssimas, mas quando monitoradas adequadamente, por empresas especialistas com seus métodos de atuação. Se sua empresa deseja saber mais acerca do Sistema Porteiro Online, mande um e-mail para emir@consultordeseguranca.com.br ou emir.pinho@chipsat.com.br

Nenhum comentário: